Sancionada lei que fortalece fiscalização dos bombeiros


O governador Geraldo Alckmin sancionou o Código Estadual de Proteção Contra Incêndios e Emergências de São Paulo, que fortalece o poder do Corpo de Bombeiros para fiscalizar a segurança de imóveis e credenciar bombeiros civis e guarda-vidas. A Lei Complementar 1.257/15 foi publicada nesta quarta-feira (7), no Diário Oficial do Estado (DOE).

A medida permite que os bombeiros vistoriem locais sem que o proprietário solicite. Caso não esteja de acordo com as normas de prevenção contra incêndios ou haja algum problema estrutural que comprometa a segurança, o dono do imóvel pode ser advertido, multado e ter o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) cassado.

“Os bombeiros poderão aplicar multas, que é um poder de polícia que a corporação não tinha antes”, afirmou o coronel Marco Aurélio Alves Pinto, comandante do Corpo de Bombeiros.

Atualmente, o Corpo de Bombeiros só pode fiscalizar estabelecimentos e prédios que tenham solicitado o AVCB ou em casos de emergência.

A corporação também poderá interditar temporariamente o local - caso haja risco iminente de incêndios ou desabamentos – ou pedir para a administração municipal a interdição indeterminada, até que este esteja em dia com as normas de segurança.

Bombeiros civis, brigadistas e voluntários

Outra mudança é a criação do Sistema de Serviço de Segurança contra Incêndios e Emergências, previsto no Código de Proteção. A medida permite aos bombeiros militares mobilizar e coordenar bombeiros civis, voluntários, brigadistas e guarda-vidas para atuar em casos de desastres naturais, desabamentos, incêndios e outras emergências.


Fonte: Secretaria da Segurança Publica de São Paulo

FOTOBOMBEIRO.png

Extintores Automotivos


Segurança:  Obter e saber usar corretamente o extintor do seu carro previne tragédias de percurso.


Assim como o cinto de segurança, o encosto de cabeça, espelhos retrovisores e outros itens de segurança, o extintor de incêndio veicular pode salvar vidas.


Apesar de tentativas para tornar o uso facultativo, o extintor de incêndio é obrigatório desde 1972  pela Resolução nº 410/68 e sobre o Decreto 62.127 de 16 de janeiro de 1968. Veículos novos passaram a trazer o extintor desde 1970. Em 22 de abril de 2004 foi publicada a Resolução nº 157, que determina a substituição dos extintores tipo BC, utilizados até então nos carros, por produtos com o pó ABC, este passou a ser obrigatório desde 1º de janeiro de 2005.


Os extintores automotivos do tipo ABC são mais eficientes e tem validade de 5 anos para serem substituídos. Além de apagar princípios de incêndios de classe B (combustíveis líquidos) como: óleo, gasolina, e álcool, de classe C (materiais elétricos) como: bateria do carro e fiação elétrica, também apaga o fogo em revestimentos, estofamentos, pneus, painéis, tapetes, puxadores; eles são chamados de classe A (materiais sólidos combustíveis).


A prevenção é o melhor método para garantir a segurança.

  • Verifique sempre que possível todas as informações que estão no próprio equipamento, como a pressão e principalmente a validade.
  • Outras duas medidas simples também devem ser tomadas para evitar qualquer incidente.
    • É importante tirar o plástico do extintor quando ele é novo.
    • E também verificar se a trava que o mantém seguro no carro não está enferrujada. Se tiver, é bom passar um lubrificante para que ela não emperre na hora que for preciso.


Apesar dos avanços tecnológicos e a introdução de novos sistemas de segurança, incêndios em veículos não são raros. O risco está presente em razão do aumento do uso de materiais combustíveis nos veículos, como plásticos, borrachas, conduítes, painéis, bancos, tapetes, puxadores das portas etc. De acordo com o CONTRAN, estes produtos inflamáveis presentes nos carros podem se “ignizar” a partir de um curto-circuito ou falha elétrica e, consequentemente, provocar um princípio de incêndio. Em resumo, não promovem adequadamente a seleção dos materiais. Tão grave quanto isto é o vazamento do combustível através das mangueiras de distribuição do veículo. Em vários acidentes, o corte automático do combustível não é suficiente para evitar a combustão.


Veja algumas orientações:

  • Fumaça BRANCA e sem cheiro é vapor de água e indica que seu veículo está com problema no radiador. Fumaça ESCURA e com cheiro forte é princípio de incêndio;
  • Se o fogo está no motor, não abra totalmente o capô. Isso facilitaria a entrada de oxigênio (comburente), aumentando o fogo.
  • As providências necessárias são:
  • Estacione o veículo em local seguro e retire os passageiros;
  • Mantenha a calma e certifique-se que o tanque de combustível normalmente fique bem longe do motor;
  • Retire o extintor do suporte e rompa o lacre para destravar a válvula;
  • Mantenha o extintor na posição vertical;
  • Através de uma pequena abertura no capô do motor, aplique parte do conteúdo do extintor para abafar o fogo;
  • Abra cuidadosamente o capô e lentamente, localize o foco de incêndio e elimine-o por completo.